16/10/2014

"Felizes para Sempre" e " Segredos do Teu Olhar" - Patricia Scanlan OPINIÃO!!!!


Este livro é a continuação de “Tudo se perdoa por amor”, que já tive oportunidade de ler e é, no fundo, um aprofundamento da história das personagens que conhecemos no livro anterior.

Bryan e Debbie já estão casados, surgem as responsabilidades, os problemas da vida conjugal que nos são descritos de forma pormenorizada e ficamos com a sensação que estamos a assistir a tudo presencialmente. 

Retrato fiel do que é a vida de casado: as tarefas, exigências, cedências, as questões económicas, a vida sexual e também social do casal. Com Patricia Scanlan concluímos, a meu ver, que a vida matrimonial é feita de altos e baixos e para os ultrapassar é necessário ter paciência e amar bastante o parceiro/a.

Será que Debbie e Bryan são capazes de ultrapassar estas problemáticas enquanto casal?

Por outro lado a mãe de Debbie, Connie, que pensava poder vir a ter mais tempo para ela depois do casamento da filha, vê-se no papel de conselheira sentimental do ex-marido, Barry. Este também se encontra com problemas familiares com a sua esposa Aimee.

Será que Connie conseguirá manter o distanciamento em relação ao ex-marido? Ou será que, finalmente, encontrará um novo amor?

Na minha opinião, a personagem que mais me cativou neste livro à semelhança do que aconteceu no primeiro livro “Tudo se Perdoa por Amor” foi Melissa, que começa a ter os primeiros sintomas de um distúrbio alimentar grave e o aprofundamento desta temática por parte de Patricia Scanlan é muito interessante, na medida em que, através da veracidade conferida ao quotidiano de Melissa enquanto adolescente ficamos a conhecer mais informações sobre este problema.

Judith, a chefe constantemente mal-humorada de Debbie também é uma personagem muito relevante neste livro por duas razões: primeiro porque transmite os problemas por que passam muitas vezes os prestadores de cuidados (vivem sobretudo em prol da pessoa que cuidam e menosprezam a sua própria vida). Contudo, Judith leva isso ao extremo: é uma pessoa fria, com grandes bloqueios no que se refere a relacionamentos, frustrada e invejosa. Em segundo lugar, Judith é uma mulher fria que “atormenta” Debbie no trabalho mas que vai protagonizar a grande surpresa deste livro: o destino mostra-lhe, através de um acontecimento inesperado, que a vida pode desaparecer de um momento para o outro. Assim,quais as consequências desse acontecimento na vida de Judith?

Para além das personagens introduzidas em “Tudo se Perdoa por amor”, conhecemos outras, como é o caso de Juliet e Ken, os pais de Aimmee, que por detrás de uma vida de glamour, escondem, no fundo, um casamento de fachada.

Articulando as narrativas das várias personagens neste livro, a autora consegue captar a atenção do leitor e ficar “preso” ao desenvolvimento das suas histórias de vida, como se tratasse de um filme, em diferentes ângulos, enquadramentos e locais.
A multiplicidade de personagens, enriquece o livro e Patricia Scanlan consegue descrever tanto sentimentos e atitudes como articular diálogos de uma forma de tal modo enriquecedora que não conseguimos largar o livro durante muito tempo. Parece que queremos pertencer ao universo da narrativa, que temos necessidade de acompanhar o quotidiano das personagens, como se fizessem parte da nossa vida.

A meu ver é assim que um livro deve ser: leva-nos a esquecer a nossa própria vida e, por instantes, vemo-nos enquadrados nas vidas das personagens que nos marcam e alienamo-nos de tudo o resto!

No final deste livro, permanecem as questões que fui colocando aqui e nomeadamente a seguinte: Existirá mesmo o “e viverão felizes para sempre”? Ou isso não passa de um mito? As respostas espero encontrá-las  no último livro da trilogia, “Segredos do Teu Olhar”!
                                                                                                                


Ansiava pela leitura deste último livro da trilogia “ Forgive and Forget” de Patricia Scanlan por duas razões: primeiro porque fiquei rendida às personagens que nos foram sendo apresentadas nos dois livros anteriores ( “Tudo se perdoa por amor” e “ Felizes para Sempre”) e segundo porque no livro anterior ficaram muitas questões em aberto e sobre as quais tinha curiosidade em obter respostas.

Estamos novamente perante o casamento atribulado de Debbie e Bryan, assim como de Aimee e Barry, a anorexia de Melissa, a mudança de vida de Connie e de Judith.

Todavia, entra em cena um novo personagem, Drew Sullivan, que apesar de termos conhecido momentaneamente no final do livro “ Felizes para sempre”, ganha novo vigor neste último volume da trilogia: homem sensato quanto baste, é um autêntico cavalheiro que vive atormentado por um casamento arruinado e que vê a sua vida levar um novo rumo quando conhece Connie.

Aliás, a meu ver, este último volume é interessante sobretudo devido a esta personagem!

Extremamente emotivo e realista do princípio ao fim, este livro é semelhante a um puzzle em que juntamos todas as peças do que fomos conhecendo nos dois livros anteriores mas não sem surpresas pelo meio.

Todas as peças do puzzle se encaixam umas nas outras, as questões são respondidas, apesar de dolorosas para determinadas personagens. 

Tal como na vida real, nascem uns e morrem outros, passam os dias e os meses e temos que saber decifrar os mistérios da vida, as lições que vão surgindo e, por incrível que pareça, o distanciamento inicial entre algumas personagens do livro “Tudo se perdoa por amor”, aproximam-se sobretudo para demonstrarem que a vida é uma roda e que o que vamos aprendendo podemos e devemos transmitir aos outros e, afinal, “Há palavras que não precisam de ser ditas”, basta um olhar.

Gostei desta trilogia, pela veracidade conferida à narrativa, pelo que é descrito relativamente à vida das personagens, pelo sentido de humor e pela leveza das palavras. Foram livros com os quais senti muitas emoções (ri, chorei, enervei-me) e as personagens vão deixar muitas saudades!
 


De referir que tanto a leitura do livro "Felizes Para Sempre" como do " Segredos do teu olhar" foi sugerida pela Diana, do Blogue Refúgio dos Livros e as suas opiniões poderão ser lidas aqui e aqui


Os Autores nas estantes

Agatha Christie (7) Albert Camus (1) Alexandre Dumas (2) Almudena de Arteaga (2) Amalia Decker Marquez (1) Ana Cristina Silva (2) Andrea Vitali (1) Andy Tilley (1) Anita Notaro (1) Anna McPartlin (2) Annie Murray (2) Anthony Capella (1) Antonio Hill (1) Arthur Schnitzler (1) Arturo Perez - Reverte (1) Audrey Niffenegger (1) Ayelet Waldman (1) Boris Vian (1) Bram Stocker (1) Brian Freeman (1) Camilla Lackberg (6) Care Santos (1) Carlos Ruiz Zafón (2) Cecelia Ahern (1) Charlotte Brontë (1) Colleen McCulloug (3) Dan Brown (2) Daniel Silva (1) David Foenkinos (1) David Nicholls (1) David Safier (1) Dennis Lehane (1) Diane Setterfield (1) Donato Carrisi (2) Edith Wharton (1) Elizabeth Adler (1) Elizabeth Edmondson (1) Elizabeth Gilbert (1) Elizabeth Haynes (1) Elizabeth Hickey (1) Eloisa James (1) Eric-Emmanuel Schmitt (1) Fabio Volo (1) Florencia Bonelli (1) Franz Kafka (1) Fred Vargas (2) George Orwell (1) George R.R. Martin (1) Gustave Falubert (1) Guy de Maupassant (1) H.P.Lovecraft (1) Harlan Coben (2) Haruki Marukami (2) Henning Mankell (2) Henry James (1) Inês Pedrosa (1) Isabel Allende (3) Iza Salles (1) J.K.Rowling (1) James Thompson (2) Jamie Ford (1) Jane Austen (2) Jean Rhys (1) Jennifer Haymore (2) Jessica Bird (1) Jill Abramson (1) John Boyne (1) John Verdon (2) Jojo Moyes (3) Jonathan Santlofer (1) Joseph Conrad (1) José Rodrigues dos Santos (5) José Saramago (6) Jude Deveraux (2) Julia Navarro (1) Julie Garwood (1) Jô Soares (2) Júlio Magalhães (2) Karen Kingsburry (1) Kate Jacobs (1) kate Morton (3) Ken Follett (5) Lars Kepler (3) Leo Tolstoi (1) Lewis Carroll (1) Lisa Gardner (1) Lucinda Riley (2) Luís Miguel Rocha (4) Lívia Borges (1) Machado de Assis (1) Madeline Hunter (2) Marguerite Duras (1) Matilde Asensi (1) Michael baron (1) Miguel Sousa Tavares (1) Mo Hayder (1) Mário Vargas Losa (2) Nicholas Sparks (2) Nicky Pellegrino (1) Nicolas Barreau (2) Nora Roberts (4) Nuno Markl (1) Oscar Wilde (1) Paulo M. Morais (1) Philippa Gregory (3) R.J.Palacio (1) Ricardo Araújo Pereira (1) Ricardo Menendez Sálmon (1) Richard Zimler (1) Robert Louis Stevenson (1) Robert Wilson (1) Rosamund Lupton (2) Rosamunde Pilcher (1) Sandra Brown (2) Sandra Worth (1) Sara Rodi (1) Sarah Addison Allen (3) Slavomir Rawicz (1) Stefan Sweig (1) Stephen King (1) Stephenie Meyer (4) Steven Saylor (1) Stieg Larson (3) Susanna Kearsley (1) Susanna Tamaro (1) Tara Moss (1) Thomas Mann (1) Torey Hayden (1) Tracy Chevalier (2) Wilkie Collins (1) WM. Paul Young (1) Yann Martel (1) Yasunari Kwabata (1) Yrsa Sigurdardóttir (1)