20/05/2013

Madame Bovary - Gustave Flaubert OPINIÃO!!!!



Editora: Europa – América (livro de bolso)

Nº páginas: 307















Sinopse:
«Madame Bovary sou eu», disse uma vez Flaubert, a quem o êxito do seu romance publicado em 1856 acabou por irritar, de tal modo eclipsou os seus outros livros.
Ema Bovary persegue a imagem do mundo que lhe é dada por uma certa literatura desligada da realidade. Arrastada pelas suas ilusões, a mulher do prosaico Carlos Bovary imagina-se uma grande amorosa.
A realidade revela-se impiedosa. E, no entanto, Madame Bovary, na época judicialmente perseguido devido à sua «cor sensual» e à «beleza provocadora de Ema», está longe de ser essa lição de realismo que muitos nele quiseram ver.

A minha Opinião:
A leitura de clássicos tem-me aberto as portas para a descoberta de novos escritores e de novas formas de escrita. “Madame Bovary” é um destes exemplos.

A acção do romance decorre no séc.XIX, nos arredores de Paris e tem como personagens principais Charles Bovary e Emma, futura Madame Bovary.

Este livro retrata, sobretudo, a sociedade da época. Contudo, o papel da mulher é primordial e não surge, como em muitos romances deste período, como alguém sem personalidade. Bem pelo contrário: Emma tem uma personalidade forte, permanentemente insatisfeita, tanto moral como intelectualmente e procura outros horizontes e outras aventuras para melhorar o seu dia-a-dia. A complexidade desta personagem é o que conduz,, a meu ver,  ao final trágico e surpreendente do livro.

Aliás, o facto do escritor introduzir neste livro o tema do adultério fez com que a sociedade francesa se insurgisse contra o mesmo e ,por isso, Gustave Flaubert foi levado a tribunal.

A faceta sonhadora de Emma leva-a a apaixonar-se por um homem que não era o que ela pensava e quando toma consciência desse facto, Emma conclui que afinal as aparências iludem e que provavelmente deixou escapar o grande amor da sua vida.

Por entre aventuras e descrições quotidianas, Gustave Flaubert constrói uma história muito realista, o que constituiu uma novidade naquela época, tendo este livro sido considerado a primeira obra da literatura realista. 

De facto, ao ler este livro por várias vezes me lembrei de um grande escritor português que tem também como base o realismo na sua escrita: Eça de Queiroz. 

Enquanto lia este clássico fiquei com a sensação que estava perante um filme, em que as cenas se sucediam facilmente perante os meus olhos e isto contribuiu para apreciar este livro.

Identifiquei-me, inclusivamente, com Emma na medida em que, tal como ela, as leituras fazem-me sonhar!

Para além do romance, este livro inclui uma crítica à sociedade, à burguesia, ao clero e à religião.

O realismo das descrições de personagens e do seu quotidiano, transformou Madame Bovary num dos melhores clássicos da literatura que li até hoje!

O Autor:
Romancista francês, Gustave Flaubert nasceu a 8 de Dezembro de 1821, em Rouen, França, e morreu a 8 de Maio de 1880, em Croisset.
A sua incursão na literatura começou na escola e data de 1837, ao redigir num jornal de estudantes, Art et Progrès, e depois a revista Le Colibri. Quando já tinha adiantada a redacção de La Tentation de Saint Antoine, interrompeu-a para escrever o seu grande romance Madame Bovary, que em 1857 foi publicado em folhetins na Revue de Paris. Esta obra, que lhe custou cinco anos de trabalho, iria também levá-lo à barra do tribunal, em 1858, por atentado contra os bons costumes. Apesar do escândalo, a crítica consagra a obra pela novidade, perfeição e equilíbrio, e as tendências realistas. A obra de Flaubert representa o expoente máximo do romance realista em França e terá influenciado o escritor português Eça de Queirós.

A minha classificação: 6 – Muito Bom.

Período de Leitura: De 6 a 11 de Maio de 2013.

3 comentários:

rjs disse...

Bem legal, gostei mesmo da publicação, parabéns. Já conhece o E-MAI? Ganhe dinheiro na internet sem sair da sua cadeira! Não perca tempo acesse o link do meu convite. Faça seu cadastro e comece a ganhar hoje mesmo!

http://www.e-mai.net/rjs

Antonio Manuel disse...

Mais uma vez a Estefânia publica uma excelente crítica sobre um "clássico" e mostra-nos a sua capacidade de abranger vários géneros literários. O que conta é a qualidade!!!! e um cérebro sem "teias de aranha".
Aproveito para manifestar a minha profunda indignação pela não realização da Feira do Livro do Porto. Revoltante!!!!!!

www.77yum.com disse...

a片貼圖區
080視訊聊天室
免費a片
免費a片下載無碼
色a片下載
全球華人視訊網
視訊聊天室
免費a片AV女優
a片女星

Os Autores nas estantes

Agatha Christie (7) Albert Camus (1) Alexandre Dumas (2) Almudena de Arteaga (2) Amalia Decker Marquez (1) Ana Cristina Silva (2) Andrea Vitali (1) Andy Tilley (1) Anita Notaro (1) Anna McPartlin (2) Annie Murray (2) Anthony Capella (1) Antonio Hill (1) Arthur Schnitzler (1) Arturo Perez - Reverte (1) Audrey Niffenegger (1) Ayelet Waldman (1) Boris Vian (1) Bram Stocker (1) Brian Freeman (1) Camilla Lackberg (6) Care Santos (1) Carlos Ruiz Zafón (2) Cecelia Ahern (1) Charlotte Brontë (1) Colleen McCulloug (3) Dan Brown (2) Daniel Silva (1) David Foenkinos (1) David Nicholls (1) David Safier (1) Dennis Lehane (1) Diane Setterfield (1) Donato Carrisi (2) Edith Wharton (1) Elizabeth Adler (1) Elizabeth Edmondson (1) Elizabeth Gilbert (1) Elizabeth Haynes (1) Elizabeth Hickey (1) Eloisa James (1) Eric-Emmanuel Schmitt (1) Fabio Volo (1) Florencia Bonelli (1) Franz Kafka (1) Fred Vargas (2) George Orwell (1) George R.R. Martin (1) Gustave Falubert (1) Guy de Maupassant (1) H.P.Lovecraft (1) Harlan Coben (2) Haruki Marukami (2) Henning Mankell (2) Henry James (1) Inês Pedrosa (1) Isabel Allende (3) Iza Salles (1) J.K.Rowling (1) James Thompson (2) Jamie Ford (1) Jane Austen (2) Jean Rhys (1) Jennifer Haymore (2) Jessica Bird (1) Jill Abramson (1) Jô Soares (2) John Boyne (1) John Verdon (2) Jojo Moyes (3) Jonathan Santlofer (1) José Rodrigues dos Santos (5) José Saramago (6) Joseph Conrad (1) Jude Deveraux (2) Julia Navarro (1) Julie Garwood (1) Júlio Magalhães (2) Karen Kingsburry (1) Kate Jacobs (1) kate Morton (3) Ken Follett (5) Lars Kepler (3) Leo Tolstoi (1) Lewis Carroll (1) Lisa Gardner (1) Lívia Borges (1) Lucinda Riley (2) Luís Miguel Rocha (4) Machado de Assis (1) Madeline Hunter (2) Marguerite Duras (1) Mário Vargas Losa (2) Matilde Asensi (1) Michael baron (1) Miguel Sousa Tavares (1) Mo Hayder (1) Nicholas Sparks (2) Nicky Pellegrino (1) Nicolas Barreau (2) Nora Roberts (4) Nuno Markl (1) Oscar Wilde (1) Paulo M. Morais (1) Philippa Gregory (3) R.J.Palacio (1) Ricardo Araújo Pereira (1) Ricardo Menendez Sálmon (1) Richard Zimler (1) Robert Louis Stevenson (1) Robert Wilson (1) Rosamund Lupton (2) Rosamunde Pilcher (1) Sandra Brown (2) Sandra Worth (1) Sara Rodi (1) Sarah Addison Allen (3) Slavomir Rawicz (1) Stefan Sweig (1) Stephen King (1) Stephenie Meyer (4) Steven Saylor (1) Stieg Larson (3) Susanna Kearsley (1) Susanna Tamaro (1) Tara Moss (1) Thomas Mann (1) Torey Hayden (1) Tracy Chevalier (2) Wilkie Collins (1) WM. Paul Young (1) Yann Martel (1) Yasunari Kwabata (1) Yrsa Sigurdardóttir (1)